Tuesday, April 18, 2006

Marinheiro Eu Sou, continuando a viagem.

Conheçamos um pouco desses nobres, capazes e competentes militares, servindo ao Brasil, na MARINHA, os Engenheiros da Marinha.
Dia 12 de ABRIL comemora-se o Dia Do Engenheiro da Marinha.

Em
https://www.mar.mil.br/menu_h/noticias/dia_corpo_engenheiros_2006.htm

INSTITUTO DE PESQUISAS DA MARINHA
RIO DE JANEIRO, RJ. Em 12 de abril de 2006.
ORDEM DO DIA Nº 1/2006


Assunto: Aniversário do Corpo de Engenheiros da Marinha

116 anos. Passados 116 anos da assinatura do Decreto Nº 327 de 12 de abril de 1890, pelo Almirante Eduardo Wandenkolk, então Ministro da Marinha, criando o Corpo de Engenheiros da Marinha, só temos motivos para nos orgulhar. A idéia, àquela época, de dotar a Marinha com profissionais dedicados à manutenção e ao aprestamento dos seus meios, capazes de projetar navios e seus sistemas, tornou-se, ao longo do tempo, realidade. Hoje, com um efetivo de aproximadamente 500 Oficiais, aos quais se somam militares e civis com as mais diversas especialidades, nossos engenheiros têm feito significativo esforço para manter a Marinha ocupando lugar de destaque.
A capacidade de homens e mulheres, componentes do Corpo de Engenheiros da Marinha, em nossas Diretorias, Bases, Institutos, Centros e Arsenal tem sido reconhecida, inclusive internacionalmente, e, exercendo-a com dedicação ímpar e buscando vencer desafios, os sucessos se repetem.
Nosso orgulho é justificável. O desenvolvimento em diferentes áreas tem sido marcante e não falta o que destacar. Em tempos recentes, podemos citar a modernização das Fragatas Classe Niterói, a revitalização dos Navios Varredores, a conclusão do Submarino Tikuna, os trabalhos na Corveta Barroso e a colocação do Submarino Timbira em oficina para o seu período de manutenção geral, marco da engenharia, nas suas diferentes fases, dentre outros.
A Marinha, a despeito da conjuntura nem sempre ser favorável, tem procurado desenvolver a mentalidade marítima e manter-se pronta para responder a todos os desafios que se impõem ao nosso Poder Naval. Se o reconhecimento da importância da Amazônia Azul é fato consumado, os esforços para protegê-la nem sempre contam com os recursos que necessitamos. Entretanto, as dificuldades têm sido superadas e todos os esforços têm sido devotados a possuir meios que façam frente às possíveis ameaças.
Assim, o papel do apoio técnico, no qual se insere o Corpo de Engenheiros da Marinha, é fundamental e a todo momento está sendo colocado a prova, quer pelo necessário nível de prontificação dos nossos meios quer pelas exigências do nosso Plano de Reaparelhamento. A opção de servir à Marinha no Corpo de Engenheiros deve ser marcada por dupla satisfação: a de vermos nossos companheiros do setor operativo se realizarem profissionalmente ao empregarem o material por nós apoiado e/ou desenvolvido e aquela inerente à nossa formação, ao fazer retornar ao serviço ativo meios avariados ou quando da conclusão de provas definitivas de meios/sistemas por nós projetados.
Conforme enfatizado em ocasiões anteriores, temos que fazer prevalecer o ideal da nossa criação, honrar aqueles que nos antecederam, representados na figura do Contra-Almirante (EN) João Cândido Brazil, nosso patrono, acompanhar a rapidez do desenvolvimento tecnológico e colocar a formação a serviço da nossa Instituição certos de que, por mais que façamos, estaremos abaixo do que podemos e muito aquém do que a Marinha merece.
Engenheiros, orgulhem-se do Corpo ao qual pertencem e mantenham viva a esperança na caminhada iniciada há 116 anos, cujo único objetivo está acima de qualquer contexto temporal, ter a Marinha pronta e moderna. Parabéns Corpo de Engenheiros.

VIVA A MARINHA!

0 Comments:

Post a Comment

<< Home